aβsynto Vocέ: Mulher gosta de tapa na Hora H?

 

"Há quem diga que todas as noites são de sonhos.Há também quem garanta que nem todas, só as de verão.Isto não tem muita importância. O que interessa mesmo são os sonhos..."

Visite o link abaixo...

segunda-feira

Mulher gosta de tapa na Hora H?


Nas minhas andanças pela blogosfera achei um post muito interessante blog ΨolhosPensantes


que tem uma sacada legal sobre a questão do "tapinha" na hora do sexo. Vou postar um resumo do artigo caso queira se aprofundar, clica ns liks abaixo. Ah, o texto foi criado pela turma do Papo de Homem, site legal pra kct! Passa lá, o link tá no final também. Agora vamos lá:

MULHER GOSTA DE TAPA NA CARA NA HORA H?!!
(...)
Tapa como xingamento
Antes de partirmos para o tapa, vamos olhar para um ato mais comum durante o sexo: o xingamento. Qualquer um aqui já falou “Sua puta!” ou uma outra exclamação bem diferente: “Minha putinha”. E todos já devem ter ouvido “Mete forte” e “Me bate”. Nesses momentos, se você bateu apenas na bunda, deixou de levar a fantasia ao limite.

A mulher não se identifica com a bunda tanto quanto se identifica com o próprio rosto. Ora, nós todos temos a sensação de estarmos atrás de nossos olhos, dentro da cabeça, não em qualquer outro lugar do corpo. Se ela diz “Me bate”, se você realmente quer bater nela, é mão na cara, sem piedade.
“Na vida erótica, funciona uma espécie de proporção: para desejar sexualmente, é como se precisássemos, ao menos por um momento, despojar o outro de sua dignidade subjetiva, considerá-lo apenas como corpo. É por isso que, para alguns, é impossível desejar e amar o mesmo outro. É por isso que a maioria, na hora do sexo, não sussurra palavras de carinho, mas solta “injúrias” que rebaixam a parceira ou o parceiro, ou seja, que o transformam em carne entregue ao desejo. Nada de “meu anjo”. Na cama, é “puta”.” –Contardo Calligaris

Quem concorda com o Contardo, é sua ex-mulher, Eliana Calligaris, autora de Prostituição: o eterno feminino, no qual afirma que a fantasia da puta é essencial para que ocorra o gozo feminino:
“Eu uso a puta como uma metáfora, como a mulher que tem disponibilidade de se entregar sem regras, sem condições, simplesmente se oferece. Na imaginação feminina, ela é a mulher que tem acesso a todos os homens e dispõe do próprio corpo com total liberdade.”

Quer ler o post completo clica aqui!

Quer conhecer o site Papo de Homem, autores do texto clica aqui!

Um comentário:

  1. Passando so pra te deixar um beijão.
    Seu BLOG a cada dia está melhor..adorei..
    Beijos e até outra visitinha.
    Nandamello

    ResponderExcluir

E aí, gostou? Deixe sua marca...

Loading...

Cicatriz

Quem disse que mudei? Não importa que a tenham demolido. A gente continua morando na velha casa em que nasceu.

   Mário Quintana [pensador] www.pensador.info

 
diHITT - Notícias