aβsynto Vocέ: 200811

 

"Há quem diga que todas as noites são de sonhos.Há também quem garanta que nem todas, só as de verão.Isto não tem muita importância. O que interessa mesmo são os sonhos..."

Visite o link abaixo...

domingo

SAUDADE by PABLO NERUDA

Saudade é amar um passado que ainda não passou,
recusar um presente que nos machuca,
é não ver o futuro que nos convida...

Saudade é sentir que existe o que não existe mais...
Saudade é o inferno dos que perderam,
é a dor dos que ficaram para trás,
é o gosto de morte na boca dos que continuam...

Só uma pessoa no mundo deseja sentir saudade:
aquela que nunca amou.

E esse é o maior dos sofrimentos:
não ter por quem sentir saudades,
passar pela vida e não viver.
O maior dos sofrimentos é nunca ter sofrido."

sábado

Boca by Drummond



Umas sujas, outras pudicas...Pouco importa.
O desejável não é o encontro ?!

Boca

Boca: nunca te beijarei.
Boca de outro que ris de mim,
no milímetro que nos separa,
cabem todos os abismos.

Boca: se meu desejo
é impotente para fechar-te,
bem sabes disto, zombas
de minha raiva inútil.

Boca amarga pois impossível,
doce boca (não provarei),
ris sem beijo para mim,
beijas outro com seriedade.


Ah! Bruta Flor do querer...

video

"Ah! Bruta flor do querer
Ah! Bruta flor, bruta flor

O quereres e o estares sempre a fim
Do que em mim é de mim tão desigual
Faz-me querer-te bem, querer-te mal
Bem a ti, mal ao quereres assim
Infinitivamente pessoal
E eu querendo querer-te sem ter fim
E, querendo-te, aprender o total
Do querer que há e do que não há em mim"


Saudade de Amar


Saudade é um pouco como fome. 

Só passa quando se come a presença. 

Mas às vezes a saudade é tão profunda 

que a presença é pouco: quer-se absorver 

a outra pessoa toda. 

Essa vontade de um ser o outro 

para uma unificação inteira 

é um dos sentimentos mais urgentes 

que se tem na vida. 


[Clarice Lispector]

quinta-feira

Gosto de ti quando calas_ Poema 15

Gosto de ti quando calas porque estás como ausente,
e me ouves de longe, e minha voz não te toca.
Parece que teus olhos houvessem saltado
e parece que um beijo fechara a tua boca.
Como todas as coisas estão cheias de minh'alma
emerges das coisas cheia de alma, a minha.
Borboleta de sonho, tu pareces com minh'alma,
como pareces com a palavra melancolia.

Gosto de ti quando calas e estás como distante.
E estás como a queixar-te, borboleta em arrulho.
E me ouves de longe, e minha voz não te alcança:
permite que eu me cale com teu silêncio agudo.
Permite que eu te fale também com o teu silêncio
claro como uma lâmpada e simples como um elo.
Tu és como a noite, calada e constelada.
Teu silêncio é de estrela, afastado e singelo.

Gosto de ti quando calas porque estás como ausente.
Distante e dolorosa como se estivesses morta.
Uma palavra, então, um sorriso são o bastante.
E fico alegre, alegre porque a verdade é outra.
POEMA 15 _Pablo Neruda
[Traduções de Ari Roitman e Paulina Wacht]

quarta-feira

O amor que surge da paixão....

A paixão segue contemplativa, mas a falta é real.
A falta de teus suspiros, do teu cheiro... do abraço.
A ausência tem forma, tem nome, tem vida.
Vida que vibra com teus gemidos sôfregos
quando a língua despe o pudor do seu corpo.
Hoje silêncio predomina no quarto, na cama... 
Não penetras meus ouvidos com suas doces obcenidades ...
Não me irrigas de vida, de ti, de gozo...É só vácuo. 
Mas quando chegares...
Num abandono em meus braços, seu corpo a estremecer 
com carinhos e ousadias inconfessáveis,
partida será passado.
Então, extenuado, recostado em meu regaço, 
indefeso como uma criança, abrigado, adormecerá feliz meu homem!

DOS PECADOS QUE NOS CERCAM...

DOS PECADOS CONFESSOS, QUE PRAZER A GULA, A AVAREZA, A IRA, A VINGANÇA  NOS PODE TRAZER ?
SE É PRA PECAR, QUE SEJA POR MUITA LUXÚRIA,
MESMO SENDO PECADO, É O ÚNICO CAPACITADO DE NOS LEVAR AO CÉU DO PRAZER!

Creative Commons License aβsynto Vocέ by K4AKIS'Production

Fuc***k you!!!

A primeira obcenidade dita ao pé do ouvido ninguém esquece.
Ser elevada a posição de "Minha P***" pelo homem que se deseja e ama é a Glória, não?!

video

Sincronicidade...


Gozar juntos:
Todos sonham... Muitos tentam.
Só a Paixão sincroniza!

Orgasmus Etílicos


Meu gatinho, sabe qual a vantagem dos orgasmus etilicos?
É que na maioria das vezes a fantasia nos deixa criativos e gozar vira uma festa!

"(...) Mimosa boca e santa,
que devagar vais desfolhando a líquida
espuma do prazer em rito mudo,
lenta-lambente-lambilusamente
ligada à forma ereta qual se fossem
a boca o próprio fruto, e o fruto a boca,
oh chega, chega, chega de beber-me,
de matar-me, e, na morte, de viver-me.
Já sei a eternidade: é puro orgasmo..."

(Drummond-Amor Natural/1992)


terça-feira

O TEMPO by MÁRIO QUINTANA

















A vida é o dever que nós trouxemos para fazer em casa.
Quando se vê, já são seis horas!
Quando de vê, já é sexta-feira!
Quando se vê, já é natal...
Quando se vê, já terminou o ano...
Quando se vê perdemos o amor da nossa vida.
Quando se vê passaram 50 anos!
Agora é tarde demais para ser reprovado...
Se me fosse dado um dia, outra oportunidade, eu nem olhava o relógio.
Seguiria sempre em frente e iria jogando pelo caminho a casca dourada e inútil das horas...
Seguraria o amor que está a minha frente e diria que eu o amo...
E tem mais: não deixe de fazer algo de que gosta devido à falta de tempo.
Não deixe de ter pessoas ao seu lado por puro medo de ser feliz.
A única falta que terá será a desse tempo que, infelizmente, nunca mais voltará.

Meu Homem, meu Macho, meu Gato



"É necessário abrir os olhos e perceber que as
Coisas boas estão dentro de nós,
Onde os sentimentos não precisam de
Motivos nem os desejos de razão.
O importante é aproveitar o momento e
Aprender a sua duração, pois a vida está
Nos olhos de quem saber ver "


DESENCONTROS ...

Timidez

Basta-me um pequeno gesto,
feito de longe e de leve,
para que venhas comigo
e eu para sempre te leve...
_ Mas só esse eu não farei.

Uma palavra caída
das montanhas dos instantes
desmancha todos os mares
e une as terras mais distantes...
_ Palavra que não direi.

Para que tu me adivinhes,
entre os ventos taciturnos,
apago meus pensamentos,
ponho vestidos noturnos,
_ Que amargamente inventei.

E, enquanto não me descobres,
os mundos vão navegando
nos ares certos do tempo,
até não se sabe quando...
E um dia me acabarei.


Cecília Meireles

domingo

Saudade

video
Mon chAT supõem a saudade doce... Saudade, se lhe dermos asas... dói!
"De tudo ficou um pouco..."
I missing you mon chAT!!!

*Resíduo, poema de Drummond na voz do saudoso Paulo Autran, regalo para os amantes de
bons peomas, boa literatura.

Drummond... poeta apaixonado

Sugar e ser sugado pelo amor

Sugar e ser sugado pelo amor 
no mesmo instante boca milvalente
o corpo dois em um o gozo pleno
que não pertence a mim nem te pertence
um gozo de fusão difusa transfusão
o lamber o chupar e ser chupado
no mesmo espasmo
é tudo boca boca boca boca
sessenta e nove vezes boquilíngua.

Carlos Drummond de Andrade

Drummond me lembra nossos momentos na cama:sem limite, sem pudores, sem medo do prazer, sem medo de ser feliz.

Receita de Alegria

video

Neruda... os pés... o gATo... os pés...

Os teus pés

Quando não posso contemplar teu rosto,
contemplo os teus pés.

Teus pés de osso arqueado,
teus pequenos pés duros.

Eu sei que te sustentam
e que teu doce peso
sobre eles se ergue.

Tua cintura e teus seios,
a duplicada purpura
dos teus mamilos,
a caixa dos teus olhos
que há pouco levantaram voo,
a larga boca de fruta,
tua rubra cabeleira,
pequena torre minha.

Mas se amo os teus pés
é só porque andaram
sobre a terra e sobre
o vento e sobre a água,
até me encontrarem.

[Pablo Neruda]

Vem morrer vivendo nos meus braços



Vem morrer vivendo nos meus braços
Preenche com meu colo teus espaços
Do avesso do meu não, faz o teu sim
Vem poetar de amor dentro de mim

Grita o aroma rubro do desejo em flor
Perde teu gosto fulvo desta pele em cor
Pensa nas sombras de gemidos vãos
E faze de meus lábios tuas mãos
Sente meu toque no teu toque exangue
Vive meu gozo em teu próprio sangue

Dá-me teu beijo para que eu afague
Dá-me teus olhos para que eu me afogue
Teu pensamento onde minh'alma cabe
E que meu corpo no teu corpo acabe.

Lília Chaves
*Mestra em Teoria Literária, pela Universidade Federal do Pará (1992) e doutorado em Estudos Literários, pela Universidade Federal de Minas Gerais

Encontros e Desencontros


"Ora, e qual vida não é um desencontro? 
A vida por si só é desencontro, entremeados de encontros, 
novos desencontros..."
[A.J.]

sábado

Mon beau chAT






gATo
Fico a 
imaginar 
sua voz  
sussurrando
 no meu ouvido: 
"_Menina..." 
Que delicia! 
Amei quando você me enviou essa composição do Belchior,
já baixei no meu iPod.
Meu Cordial Brasileiro 
(Belchior)  
"Menina,
ainda tenho um cigarro, mas eu posso lhe dar.
Menina,
a grama está sempre verde, mas que quero pisar.
Menina,
a Estrela do Norte nem saiu do lugar.
Menina, 
asa branca, assum preto, sertão não virou mar.
Menina, 
o show já começou, é bom não se atrasar.
Menina,
é proibida a entrada, mas eu quero falar
com/contra quem me dá duro,
com o dedo na cara, me mandando calar
Que o pecado nativo é simplesmente estar vivo, é querer respirar."

METADE...Oswaldo Montenegro

video

Las meigas, haberlas... haylas!


"Yo no creo en las meigas (brujas), pero haberlas haylas".
L'existence des sorcièrs et démons ne dérange pas.
Orgulho:   Lúcifer
Inveja:     Leviathan;
Ódio:       Satanás
Preguiça:   Belphegor
Avareza:   Mammon
Gula:       Ba'al Zebûb
Luxúria:    Asmodeus

Quer ser meu michê???


Eu_ Lindinho, tô acabando de chegar e vi sua resposta... eu te enviei o e.mail ONTEM, devia ser meia-noite,vc ainda tava trabalhando? Fazendo michê?

chAT_ Imagine eu fazendo michê,saradão, cheio de marra. não dá..

Eu_ Dá sim, sua barriguinha é um charme... homem saradão, anabolizado é bichoso e brochoso.
Pra uma modelo de Botero como eu, michê como você! Rs...rs!!!


chAT_ Seria um bom par de modelos, redondinhos?

[27/08/08]


 Despir um corpo a primeira vez

"Despir um corpo a primeira vez é um conhecimento entre dois deuses.
Não se pode profanar o instante.E os amantes devem manter o ritmo dos altares.
Porque, embora nesses rituais haja sempre panos e trajes para agradar o Olimpo,
é pra nudez total que o céu nos quer quebrar. As mãos têm que ter um compasso certo.
Um andante ou claro de Bach nos gestos, compondo a alegria dos homens e mulheres.
As mãos, sobretudo, não podem se apressar.
Com os olhos, têm que aprender e, com a ponta dos dedos, 
contemplar os acordes que irão surgindo quando, 
peça por peça, o corpo for se desvestindo ao pé do altar.
Antes de se tocar com as mãos e lábios, na verdade,
já se tocou o corpo alheio com um distraído olhar sempre envolvente.
E ninguém toca um corpo impunemente.Despir um corpo a primeira vez 
não pode ser coisa de poeta desatento, colhendo futilmente
a flor oferta num abundante canteiro de poesia.
Nem pode ser coisa de um puro microscopista, que olha as coisas sabiamente.
Se tem que ser de sábio olhar, que seja do botânico, porque esse saber aflorar
em cada espécie tem de mais secreto ou distante, o que cada espécie sabe dar.
Despir um corpo a primeira vez é conhecer, pela primeira vez uma cidade.
E os corpos das cidades têm portas para abrir, jardins de pousar,
torres e altitudes que excitam a visitação.
Quando os corpos se tocam por acaso, como se estivessem indo em direções diferentes, 
o que ocorre é desperdício.
Não se pode tocar um corpo impunemente.
Para se tocar um corpo completa e profundamente, num dado instante, 
os corpos têm que se convergir.
E convergir com uma luz diferente. 
A descoberta do outro é isso, é convergência.
Despir um corpo a primeira vez é como despir um presente, por isso não se pode
desembrulhá-lo assim, às pressas, embora a gula nos precipite afoitos sobre a pele ofertada.
Não se pode com as mãos infantis, descompassadas, ir rasgando invólucros,
arrebentando cordões com gula que as crianças só têm nas confeitarias, antes da indigestão.
Um corpo é surpresa, sempre.
 E o que se vê nas praias, nessa pública ostentação, nesse exercício coletivo de nudez negaceada,
em nada tira a eufórica contentação do ato, quando os dedos vão desatando botões e beijos,
e rompendo as presilhas das carícias.
Despir um corpo a primeira vez não é coisa de amador.
Só se o amador for amador da arte de amar, porque o corpo do outro não pode ter
a sensação de perda, mas a certeza de que algo nele se somou, 
que ele é um objeto luminoso que a outros deve iluminar.
Um corpo a primeira vez, no entanto, é frágil e pode trincar em alguma parte.
E os menos resistentes se partem, quando aquele que os toca, 
os toca apenas com cobiça e nunca
a generosa mansidão de quem veio pela primeira vez, e sempre, para amar ."

Dolce far niente in Buzios


"Hermandad
Soy hombre: duro poco
y es enorme la noche.
Pero miro hacia arriba:
las estrellas escriben.
Sin entender comprendo:
también soy escritura
y en este mismo instante
alguien me deletrea. "

Tecla Sap...
Sou homem: duro pouco/e é enorme a noite.
Mas olho para cima:/as estrelas escrevem.
Sem entender compreendo:/Também sou escritura
e neste mesmo instante/alguém me soletra."

Test Drive...


Palavras de gato:
"_É bom testar antes... pode se descobrir muitas coisas."
Meu gato se esconde, seu mistérios me instiga...
Quero descobrir sua alma, seu gosto... você!!!

"Olhando se desejou...
Num breve instante... possuiu.
Devolveu:test drive"
(outubro/2008)

O Gato de Neruda


O Gato,
Neruda conhecia
as nunces da alma felina quando teceu esses versos.
Queria eu ter conhecido alguém tanto assim!

Ode ao gato
"Os animais foram imperfeitos,(...)
Pouco a pouco se foram compondo,(...)
adquirindo pintas, graça, vôo.
O gato, só o gato apareceu completo e orgulhoso:
nasceu completamente terminado,
anda sozinho e sabe o que quer(...)
Oh fera independente

da casa, arrogante
vestígio da noite,
preguiçoso, ginástico e alheio,
profundíssimo gato,
polícia secreta dos quartos,(...)
certamente não há
enigma na tua maneira,
talvez não sejas mistério,
todo o mundo sabe de ti.
E pertence a
o habitante menos misterioso,
talvez todos acreditem, 
todos se acreditem donos,
proprietários, (...) do seu gato.
Eu não.
Eu não subscrevo.
Eu não conheço o gato.
Tudo sei, a vida e seu arquipélago,
o mar e a cidade incalculável,(...) 

mas não posso decifrar um gato.(...)" 

Prenúncio de Paixão



Como começar um blog sem as palavras de Mário Quintana?!
Não são os poemas, as palavras que nos unem?!
Poucos são os que podem dizer que os sinais de uma paixão latente foram as palavras de Mário Quintana. Queria ter sido previlegiada com um regalo desse!      

"Quem disse que eu me mudei?
 Não importa que a tenham demolido:
A gente continua morando na velha casa em que nasceu."
Loading...

Cicatriz

Quem disse que mudei? Não importa que a tenham demolido. A gente continua morando na velha casa em que nasceu.

   Mário Quintana [pensador] www.pensador.info

 
diHITT - Notícias